Imagens via satélite na Ucrânia

Informações divulgadas por uma organização não governamental dos Estados Unidos através de imagens via satélite na Ucrânia apresentam dados sobre a movimentação das tropas russas nas cidades ucranianas. Desde a última semana, foram apresentadas atividades que não eram notadas desde o início da operação militar.

Nos arredores de Kharkiv, a segunda maior cidade ucraniana, com 1,5 milhão de habitantes, houve um pequeno recuo das tropas russas, algo que os ucranianos dizem que foi uma retomada do território, conforme explica o editor de Internacional da CNN Marcelo Favalli no vídeo acima.

Porém, no flanco leste e sul da Ucrânia, há outros pontos que mostram avanços das tropas russas; como na região de Dunbass e Mariupol – um dos novos pontos de atenção desse conflito – onde concretiza o fechamento do acesso da Ucrânia ao mar de  Azov.

Imagens via satélite na Ucrânia mostram que, mais em direção ao este, onde tem a cidade de Odessa – quase na fronteira com Moldova e a Romênia, também continua o esforço das forças russas em fechar todo o acesso ao Mar Negro.

Ao norte do país, também podemos encontrar novos pontos de acesso de tropas russas, vindos de Belarus, onde têm bases que estão dando apoio a esses pelotões.

Dessa forma, as imagens via satélite na Ucrânia mostram como surge o avanço pela parte leste da capital Kiev; alguns pontos adjacentes à capital já tem tropas russas.

Confira algumas imagens:

 

Entenda o conflito na Ucrânia

Entre as principais razões apontadas, estão: a expansão da Otan pelo Leste Europeu, a possibilidade de adesão da Ucrânia à aliança militar, a contestação ao direito da Ucrânia à soberania independente da Rússia e o desejo de Vladimir Putin de restabelecer a zona de influência da União Soviética.

Estima-se que a guerra na Ucrânia, que ainda pode estar apenas no começo, já provocou centenas de mortes de civis e forçou 2 milhões de pessoas a fugirem de suas casas. A situação humanitária da Ucrânia é preocupante e tem sido alertada por diversas organizações internacionais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.