Planilha de Controle Financeiro: Como montar a sua?

Você sabe quais são suas despesas fixas mensais? Sabe quanto dinheiro sobraria se você conseguisse evitar certos gastos impulsivos? Tem ideia de qual é o valor médio de despesas recorrentes como água, eletricidade, internet e telefone? Se a resposta foi não para alguma dessas perguntas, uma boa dica para você é criar uma planilha de controle financeiro.

Essas são algumas perguntas que apenas quem possui o orçamento bem organizado é capaz de responder com precisão. Para quem deseja acompanhar os gastos, reduzir custos e fazer um uso mais inteligente do dinheiro, esse é um passo fundamental e que exige disciplina.

Continue lendo para saber como montar uma planilha de controle financeiro, que pode ser usada tanto para objetivos pessoais quanto profissionais.

O que é controle financeiro?

Se você sente dificuldades em controlar as suas finanças, saiba que não está sozinho. Para boa parte das pessoas, organizar processos financeiros é uma atribuição que foge totalmente de seu perfil. Apesar disso, a vontade de prosperar e evitar dívidas pode ser o primeiro passo para criar intimidade com assuntos relacionados à gestão de dinheiro.

Na verdade, planejar as finanças de forma eficaz é fundamental para entender se os seus gastos e investimentos estão funcionando corretamente. E assim como todas as áreas da sua vida passam por constantes transformações, a questão financeira também precisa ser levado em consideração.

Como montar uma planilha de controle financeiro?

Gostou da ideia de manter uma planilha financeira? Nós te ajudamos a criar uma que se adapte às suas necessidades, basta seguir os passos abaixo:

Estruture a planilha de controle financeiro

Tenha em mente que não existe uma forma correta de montar uma planilha de controle financeiro. O importante é que com ela você consiga mapear as suas receitas e despesas, e manipular esses dados com facilidade para saber exatamente o destino que o seu dinheiro está tomando.

Ou seja, o essencial é que seja possível incluir cada um dos custos e ganhos, atentando para que haja um campo para data do lançamento, outro para a descrição do gasto, mais um para a categoria e outro contendo o valor.

Caso prefira, separe esses lançamentos em guias, criando uma para cada mês. Outra opção é criar uma guia para todos os lançamentos e outra com o balanço mensal, calculado com base nos dados da primeira.

Crie categorias simples de entender

Existe a opção de criar categorias mais detalhadas, mas o mais recomendável é manter a sua planilha simples para evitar perdas de tempo decidindo se um lançamento diz respeito à categoria X ou à categoria Y.

Por isso, o ideal é encontrar um equilíbrio para que as categorias não sejam nem gerais demais, nem muito específicas. Quer ter uma base de quais categorias usar? Confira nossas sugestões

Receitas:

  • salário;
  • empréstimos;
  • rendimentos;
  • lucro;
  • outros.

Despesas:

  • alimentação;
  • compras;
  • despesas fixas e serviços;
  • dívidas;
  • investimentos;
  • transporte;
  • outros.

Separe os lançamentos em contas distintas

Para manter a planilha ainda mais organizada, é fundamental separar as entradas por contas diferentes, como no caso de indicar que o dinheiro saiu de determinada conta bancária ou até mesmo da própria carteira.

Aqui, a “conta bancária” aparece de maneira genérica, mas você também pode adaptar para meio de pagamento mais específico, como “dinheiro”, “débito na conta” e “cartão de crédito”.

É importante ressaltar que o cartão de crédito é um excelente motivo para separar as entradas na planilha por contas. Isso para você não cometer o erro de incluir a fatura do cartão como uma despesa única, sendo que dentro dela provavelmente haverá uma série de compras individuais.

Incluindo essas despesas, item a item, você terá uma visão mais precisa das suas finanças e tomará ações mais assertivas para otimizar o orçamento.

Controle os seus investimentos

Se quiser elevar a sua planilha para um outro nível, crie uma guia para acompanhar em quais aplicações o seu dinheiro está, seja em renda fixa (Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, LC etc.), seja em renda variável (ações, opções, fundos imobiliários, fundos de ações etc.). Isso é essencial para ter uma boa noção do patrimônio que você tem acumulado em aplicações.

Esse controle é essencial na gestão do seu fundo de emergência, uma reserva de recursos que diversos especialistas em finanças recomendam criar. Ela deve ter um valor de 6 a 12 meses do custo mensal aplicado em investimentos conservadores de resgate relativamente rápido, como o Tesouro Selic.

O objetivo é ter um fundo de ativos que poderão ser utilizados em situações de imprevistos, sem precisar se endividar ao recorrer a empréstimos ou financiamentos.

Sendo assim, inclua na sua planilha qualquer renda que entre como juros ganhos no vencimento de uma aplicação, dividendos recebidos de ações na bolsa, aluguel de um imóvel que pertença a você, entre outros.

Tenha metas

Outro conjunto de dados interessante para incluir na planilha são suas metas. Reforma da casa, investimento no seu negócio, viagem em família, novo carro, etc. Todos seus sonhos de consumo devem entrar aqui.

Em seguida, priorize essas metas de acordo com o prazo. Uma boa classificação seria em “curto”, “médio” e “longo” prazo. Essas definições variam, mas considerar desejos de até 1 ano como de curto prazo, de até 5 anos como de médio prazo e acima de 10 anos como de longo prazo já vai funcionar bem.

Por fim, estabeleça datas para cada um desses objetivos, assim é possível visualizar em quais você vai precisar focar no momento. Além disso, colocar uma data limite vai ajudar você a se comprometer a alcançar aquele propósito, sem contar que é uma maneira de manter um acompanhamento de suas conquistas.

Importância da planilha de controle financeiro

As planilhas de controle financeiro são utilizadas para analisar os gastos e receitas, facilitando a organização da entrada e saída de dinheiro.

Na prática, ferramenta traz a possibilidade de reunir dados de diferentes planilhas. Isso facilita o fluxo de dinheiro, por exemplo, em que é necessário vincular o saldo do mês atual com o saldo do mês passado.

Modelos Planilha de Controle Financeiro.

Além de montar a sua planilha, você também encontra modelos prontos. Pra quem procura planilha de gastos mensais, as opções do B3 e IDEC são a solução.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.