Anatel Telefone – Entrar em contato com a Anatel

Está tendo problemas com a sua operadora, já entrou em contato para reclamar, mas ainda não recebeu uma resposta? Lembre-se que você pode fazer reclamações através do Anatel Telefone!

Muitos usuários ainda não sabem, mas a Agência Nacional de Telecomunicações é o órgão responsável por regulamentar e fiscalizar as operações das empresas de telecomunicações no Brasil.

Continue lendo para conferir o passo a passo de como registrar uma reclamação usando o Anatel Telefone.

Reclamações Anatel: como fazer?

Lembrando que antes de procurar a Anatel, você deve registrar uma reclamação na sua operadora para buscar resolver o problema diretamente com a empresa.

Não esqueça de anotar o número do protocolo do contato, pois ele serve como prova de que a provedora está ciente do seu problema.

Depois de fazer isso, confira o passo a passo para registrar reclamação na Anatel em todos os canais de atendimento do órgão.

Anatel Telefone

Através do telefone, você pode fazer uma reclamação na Anatel ligando gratuitamente para o número 1331 de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h.

Basta informar ao atendente que deseja registrar uma reclamação e passar o número de protocolo do atendimento na sua operadora.

Vale destacar que pessoas com deficiência auditiva conseguem solicitar uma videochamada para a Central da Anatel através do número 1332.

O que é a Anatel?

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), de forma simplificada, é a entidade estatal responsável por regular o setor brasileiro de telecomunicações, fiscalizando, editando normas e intermediando conflitos entre operadoras e consumidores.

A agência reguladora foi criada em 1997 como parte de um processo de privatização das telecomunicações brasileiras.

Até o final da década de 1990, o fornecimento dos serviços de telecomunicação (TV, internet, telefonia móvel e fixa) era exclusivamente estatal, com monopólio da Telebrás, uma empresa pública federal. Eram notórios os problemas do modelo: linhas telefônicas caríssimas e demandas não atendidas.

Nessa época, 80% das linhas estavam concentradas nas classes A e B, que representavam 16% da população. Havia grandes esperas (dois a cinco anos) para que uma família pudesse adquirir uma linha, e os que conseguiam eram considerados privilegiados. As pessoas falavam no luxo que era possuir um telefone fixo em casa!

Em meio a estas dificuldades, o Governo Brasileiro decidiu abrir o mercado para que outras empresas explorassem o setor. O passo mais importante foi dado pela Lei 9.472/97, conhecida como Lei Geral de Telecomunicações, que reorganizou o modelo anterior: o Estado, ao invés de fornecer os serviços, passaria a regulá-lo para garantir a competitividade das prestadoras e a qualidade dos serviços em benefício dos usuários.

Esta função de regular o setor ficou a cargo da Anatel, criada pela mesma Lei Geral de Comunicações.

Já usou os serviços da Anatel? Deixe o seu comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.